Como criar um mapa mental eficaz e poderoso com o iMindQ?

Como já mergulhamos na teoria do mapeamento mental e explicamos sobre as origens da técnica e definimos o que exatamente é um mapa mental e por que ele é usado, agora iremos para a parte mais prática – a criação de um mapa mental com um software de mapeamento mental.

Criar um mapa mental com o iMindQ tem inúmeras vantagens. É uma ferramenta de mapeamento mental desenhada com a ideia de simplificar o processo de geração, organização e apresentação visual de ideias, pensamentos e informações. Existem algumas etapas para criar um mapa mental eficaz que simplificará o processo de aprendizagem ou trabalho.

1. Determine o seu tópico central
A etapa mais importante na criação de um mapa mental poderoso é ter um tópico central relevante. Um mapa mental é utilizado para explorar e elaborar posteriormente um determinado tópico principal colocado no núcleo do mapa mental que mais tarde será mapeado em uma série de tópicos e subtópicos. Os mapas mentais se assemelham a árvores com muitos ramos e sub-ramos, então imagine que sua ideia central é o núcleo da árvore que mantém todos os ramos e sub-ramos.

Como escolher um tema central? Dependendo do propósito do seu mapa mental, primeiro decida se o seu tópico central será uma palavra-chave específica, uma frase, uma pergunta que precisa ser respondida ou um problema que precisa ser resolvido. Em seguida, coloque-o no centro em um círculo ou uma forma diferente que você achar apropriada e personalize-o com cor, fonte, símbolo ou imagem.

2. Ramifique seu mapa
Os tópicos ou os chamados “ramos” são parte integrante dos mapas mentais. Eles são usados para definir as áreas mais importantes sobre um determinado tópico. Para colocá-lo em perspectiva, um mapa mental que no centro tem o assunto-chave ‘Plano de Viagem’ pode se estender em ramos que cobrem o essencial sobre o planejamento de uma viagem – itinerário, acomodação, orçamento, transporte e agenda. No entanto, a lista de ramos deve ser determinada de acordo com as necessidades de cada um, e é isso que torna os mapas mentais flexíveis, versáteis e transformadores.

Em relação ao mapeamento, o que funciona para um usuário não necessariamente tem que funcionar para outro usuário. Desde que o mapa seja criado com os elementos indispensáveis e de acordo com a estrutura principal, os usuários são livres para adicionar quantas ramificações quiserem e precisarem. Esses tópicos geralmente descritos com uma ou duas palavras-chave relacionadas ao assunto principal são o que inspira e estimula o lado criativo do cérebro a produzir ideias ainda mais inovadoras e a mergulhar ainda mais no assunto.

3. Expanda as ramificações em sub-ramificações (tópicos e sub-tópicos, ramos e sub-ramos,…)
Depois de ter expandido seu tópico central em diferentes tópicos, é hora de dividi-los ainda mais em subtópicos ou os chamados sub-ramos. Pode parecer confuso, mas na verdade é muito simples – você tem uma ideia central que se espalha em diferentes tópicos que se desenvolvem em subtópicos. Cada ramo está conectado aos seus sub-ramos e todos eles, juntos, elaboram a ideia central colocada no centro.

Se os ramos são geralmente descritos com uma ou duas palavras-chave, os sub-ramos podem conter um número diversificado de palavras, dependendo do que explicam. A descrição pode variar de uma palavra a frases mais complexas, desde que você use palavras-chave específicas relacionadas à sua ideia principal.

Tenha em mente que este mapa mental particular pode ser expandido, e isso não precisa ser o fim. Dependendo das suas preferências, quando se trata de viagens, por exemplo, você pode adicionar mais agências ou excluir algumas das existentes.

4. Elabore e aumente os sub-ramos
Os sub-ramos são o que torna um mapa mental completo em termos de conteúdo. Em outras palavras, se você deixar seus tópicos gerais e não elaborados, seu mapa mental não será tão poderoso quanto deveria. Você tem que sempre se concentrar em expandir o mapa mental e seus tópicos até ter certeza de que não há mais nada a acrescentar a um determinado ramo.

Irradie o mapa com ideias e associações de todas as informações que você conhece e todas as ideias que você tem em mente que se correlacionam com o assunto principal. Assim que terminar de adicionar branches e sub-branches, você pode ir para as etapas mais criativas – decorar o mapa com diferentes cores e imagens que o tornarão ousado e atraente.

5. Escolha uma fonte e comece a colorir o mapa mental
Um mapa mental torna-se uma ferramenta poderosa quando você dá a seu conteúdo uma fonte adequada e embeleza os tópicos e subtópicos com diferentes cores marcantes. Se você usar o iMindQ, poderá adicionar quantas cores e tons desejar ao seu mapa mental para torná-lo único e pessoal. O software é versátil o suficiente para permitir que você personalize cada ramo e sub-ramo de seu mapa mental de acordo com suas preferências pessoais.

O papel das cores não é apenas tornar seu mapa mais atraente. Foi descoberto que as cores têm um impacto benéfico nas habilidades de memorização das pessoas. Para ser mais preciso, vários estudos mostraram que as pessoas têm uma capacidade maior de memorizar e lembrar uma determinada cor do que uma palavra. Portanto, usar diversas cores ao criar um mapa mental é sempre uma boa ideia, pois o ajudará a memorizar as informações mais facilmente, pois você conectará essas informações com uma cor.

Se você não consegue decidir quais cores e fontes usar, reflita sobre a mensagem que deseja comunicar ou se há algumas partes específicas do conteúdo que devem ser memorizadas. Depois disso, você pode escolher as cores que achar mais poderosas para destacar o conteúdo. Você também pode colocar o texto em negrito ou sublinhar para que o mapa seja mais memorável.

6. Adicione recursos visuais aos tópicos e subtópicos
Uma vez que seu mapa mental é expandido e todos os tópicos e subtópicos relevantes são enfatizados com uma variedade de cores diferentes, você pode continuar com a próxima etapa, que pode ser a mais interessante – colocar imagens e / ou símbolos no conteúdo. Como especificamos anteriormente, as cores ajudam a memorizar as coisas com mais facilidade, mas quando anexadas à cor e ao conteúdo, as imagens fornecem benefícios ainda maiores para o cérebro. Imagens e símbolos associados a um determinado conceito ou ideia podem ajudar a memorizar e relembrar melhor as informações.

Portanto, se você estiver trabalhando em um mapa que deve ajudá-lo a se lembrar de algo específico, não pule esta etapa. É especialmente importante se você estiver estudando para um exame ou preparando uma apresentação com um mapa mental. Inclua imagens e símbolos ao lado do conteúdo e você ficará surpreso com o quão bem você se lembrará deles, o lugar onde você os colocou e, em seguida, as informações que você associou a eles.

Se estiver usando o iMindQ, você pode visitar a biblioteca de imagens e ícones para escolher ou pode fazer upload de uma imagem que achar mais apropriada para o seu mapa mental.

7. Adicione uma imagem de fundo ao mapa mental
Depois de terminar todas as etapas anteriores e criar um mapa mental com ramos e sub-ramos e decorá-los com diferentes cores, imagens e símbolos, é hora de adicionar uma imagem de fundo ou padrão que irá acentuar o conteúdo e tornar o mapa mental uma declaração peça.

Ao escolher uma imagem como plano de fundo, você deve sempre procurar um estilo que corresponda à ideia principal ou ao tema do seu mapa. Como exemplo, você pode verificar vários mapas mentais fazendo download  aqui mesmo neste site (clique aqui) criados com o iMindQ, que são mapas (dezenas deles, grátis) poderosos com uma imagem de fundo temática. A inserção de imagens de fundo torna os mapas mentais mais envolventes e atraentes aos olhos, razão pela qual esta etapa é importante e não deve ser negligenciada.

 

8. Compartilhe ou apresente seu mapa mental
Chegamos à última peça do quebra-cabeça – compartilhar e apresentar seu mapa mental. Quer você crie um mapa mental para si mesmo ou para apresentá-lo a seus amigos ou colegas, você deve se esforçar para torná-lo o mais atraente possível. Quanto mais esforço você colocar na criação de um mapa mental que valha a pena ser apresentado, mais você se beneficiará dele.

A técnica de mapeamento mental é uma alternativa criativa e envolvente para as apresentações do PowerPoint, pois permite apresentar visualmente ideias e informações em um formato diferente que sempre desperta o interesse do público.

Apresentações em forma de árvore tendem a despertar nossa mente para um pensamento criativo inovador e geração de ideias. Portanto, se você estiver usando o iMindQ para a criação de mapas mentais, o modo de apresentação é a funcionalidade que permitirá que você apresente seu mapa mental pré-projetado de forma única e fácil.

Conclusão
Concluindo, as vantagens de implementar a técnica de mapeamento mental em sua rotina diária são enormes. Todos podem se tornar um usuário de mapas mentais ou, por falar nisso, um mestre de mapas mentais. Tudo que você precisa é um software de mapeamento mental apropriado para começar. O iMindQ é um exemplo de software que oferece uma ampla gama de recursos para que seus usuários aproveitem ao máximo essa técnica criativa.

Começando com um brainstorming e anotações para o planejamento de projetos ou eventos, estudando e falando ou apresentando em público, os mapas mentais criados com iMindQ podem ajudá-lo a estimular a maneira criativa e lógica de pensar e encorajá-lo a deixar suas ideias e pensamentos fluírem livremente.

Por fim, se você o estiver usando da maneira certa, o mapeamento mental certamente estimulará seu pensamento criativo e permitirá que você resolva problemas de maneira mais eficaz. Você só precisa seguir todas as etapas anteriores que incluímos neste guia e você estará mais perto de se tornar o mestre do mapeamento mental.